Nasceu Campeão

Faça Login
 

Memória Tricolor: 10/05/1981 – JEC 4×1 Internacional/RS

Postado por Tiago Gabriel (Badoug) - 14/07/2017

O dia em que o Internacional de Porto Alegre tirou o time de campo, aos 20 minutos do segundo tempo, para não levar uma goleada histórica em um amistoso contra o JEC, no estádio Ernestão.

Amistoso 1981: JEC 4x1 Inter

Amistoso 1981: JEC 4×1 Inter

O Inter veio com seu time principal para enfrentar o Tricolor, que estreava o jogador Barbieri.

E quando o Inter estava perdendo por 4 a 1 e com dois jogadores expulsos, o clube gaúcho apelou para o “cai-cai”, encerrando a partida.

Os gols do JEC foram anotados por Ladinho, Barbieri, Jorge Luís Carneiro e Zé Carlos Paulista.

O JEC atuou com: Borrachinha; Palmito (Joel Mendes), Estevan, Adílson Fernandes e Ladinho; Jorge Luís Carneiro (Amauri), Nardela e Barbieri; Paulinho Carioca (Laércio), João Paulo (Zé Carlos Paulista) e Haerton (Ademir Padilha). Técnico: Diede Lameiro.

Leia mais

 
 

Há 30 anos o 1° Pentacampeão Estadual de Santa Catarina

Postado por nasceucampeao - 11/06/2017

Como o Brasil viu o primeiro pentacampeão Catarinense por Placar Ed. 657

Leia mais

 
 

Tricolor segura o peixe e conquista classificação dentro da Vila Belmiro

Em 14/12/1986 o Joinville Esporte Clube enfrentou o Santos na Vila Belmiro, em jogo válido pela segunda fase do Campeonato Brasileiro daquele ano.

Ao Tricolor, bastava apenas um empate para garantir a classificação para a próxima fase com duas rodadas de antecedência, enquanto que o clube paulista precisava da vitória para melhorar sua situação na tabela.

E segurando um dramático 0 a 0, o Joinville conquistou uma heroica classificação dentro da Vila Belmiro e ainda complicou a situação do peixe que acabaria sendo eliminado naquela fase da competição.

O Joinville atuou com: Barbirotto, Alfinete, Leandro, Adilson Fernandes, Edivaldo, Dorival Júnior, Nardela, Gilvan, Geraldo Touro (Léo), Mirandinha (Esquerdinha) e Paulo Egídio. Técnico: Edu Antunes.

Leia mais

 
 

Vídeo: Gol do mito Nardela diante do Figueirense

Postado por Marcos Messias - 02/05/2017

Confira o gol de Nardela, anotado na vitória de 2 a 1 do Joinville, jogando no estádio Orlando Scarpelli, diante do Figueirense. Foi a penúltima partida do JEC, no campeonato Catarinense de 1985, o jogo aconteceu no dia 8 de dezembro, às 17 horas.

 
 

20/04/1980: JEC 2×0 Santos (parte II)

Postado por Tiago Gabriel (Badoug) - 27/04/2017

Campeonato Brasileiro 1980: JEC 2×0 Santos


Complementando a postagem 20/04/1980: JEC 2×0 Santos (há extamente 33 anos), divulgada na semana passada, confira agora mais matérias publicadas pelos jornais da época sobre a histórica vitória do JEC sobre o Santos pelo Campeonato Brasileiro de 1980.

E ainda, um relato em forma de poesia sobre o jogo, do memorial do saudoso e inesquecível radialista Lourival Budal.

Leia mais

 
 

Lance de jogo, Paulinho Cascavel e perseguido por Luís Antônio. - Arquivo/NC

O JEC fez grandes jogos diante do Alvinegro da capital, até agora as equipes se enfrentaram em 173 oportunidades, com 64 vitórias do JEC, 48 vitórias do Figueirense e 61 empates. O tricolor fez 197 e sofreu 180.

Jogando em Joinville, os números são ainda melhores, em 82 jogos, 44 vitórias do Tricolor, 12 vitórias do alvinegro e 26 empates.

Entre grandes jogos realizados em Joinville, hoje vamos relembrar a final da Copa Governador do Estado de 84, que começou a ser decidida no 1º jogo, no Scarpelli, empate de 1 a 1. No segundo jogo, novo empate, agora sem gols no Ernestão, a terceira e decisiva partida,também aconteceu em Joinville, em 15 de abril de 1984.

O jogo

Foi um grande espetáculo de futebol, o JEC começou melhor a partida, pressionou o adversário até que aos 12 minutos, Nardela apareceu dentro da área e finalizou com precisão para estufar as redes. O Figueirense expressava uma reação, mas atento, o técnico do JEC, Diede Lameiro, substituiu Laércio por Palmito, e compactou a equipe, descendo para os vestiários com a vantagem mínima no placar.

No segundo tempo, o time da capital veio disposto a empatar a partida, mas o JEC bem postado no campo defensivo, só exigiu trabalho de seu goleiro Walter aos 18 minutos, quando Jesum acertou um voleio e o arqueiro fez boa defesa. O JEC se limitou a segurar a partida, tocar a bola mas sem objetivo. Aos 42 minutos, o Figueira chegou perto do empate, mas o zagueiro Adilson debaixo da trave, garantiu o título da Copa Governador do Estado.

No final da partida, muita festa dos jogadores do Joinville e sua torcida que vibrou com a conquista em cima do rival. “Nós sabíamos que quem fizesse um gol iria se retrair e gastar o tempo tentando manter o resultado, e foi realmente o que aconteceu. O importante no entanto foi que vencemos, somos campeões e já estamos no quadrangular final do campeonato catarinense de 1984” disse o Adílson Fernandes.

Ficha técnica: Joinville 1×0 Figueirense

Local: Ernestão – Data: 15/07/2012(Domingo) – Horário: 16 horas
Público: 12.308 (Pagantes) – Renda: Cr$ 26.328.000,00
Arbitragem: José Carlos Bezzera, auxiliado por Celso Bozzano e Antônio Rogério Osório.
Gols: Nardela, aos 12min. do 1º tempo(Joinville).

Joinville: Walter; Sidnei, Adílson, Léo e Carlinhos; Ricardo Freitas, Nardela e Laércio(Palmito); Moisés, Paulinho Carioca e João Renato. Técnico: Diede Lameiro.

Figueirense: Braulino, Bruno, Luís Antônio; Carlos Roberto e Cândido; Mundinho, Vanusa e Balduíno(Bira Lopes); Tadeu, Albeneir e Jesum. Técnico: ?

Confira o Vídeo da final da Copa Governador – ArquivoNC

 
 

Vídeo: JEC 2×0 Avaí – Final do Catarinense 1985

Postado por Marcos Messias - 07/04/2017
 
 

Há 31 anos atrás o JEC era tricampeão estadual

Postado por Marcos Messias - 21/03/2017

Campeão, Enfim!

Aleluia, aleluia. Finalmente, depois de quase 18 meses(começou em outubro de 79, com um torneio incentivo) e muita bagunça, provocada por uma confusão no calendário, terminou o campeonato catarinense  do ano passado. E, como já se esperava, depois de seis fases, centenas de jogos e muitos recursos levados para o tapetão, o Joinville é campeão. Ou melhor, o tricampeão.

No jogo frio, os gols surgiram naturalmente

Pena que, chateada com tanta incompetência mostrada pelos cartolas da Federação, tendo a frente o presidente José Alias Guiliari, e endossada de cartolas brilhantes, a torcida decidisse esquecer o jogo e apenas 8160 fiéis pagantes se dispusessem a ir, sábado à noite, ao estádio Ernesto Schlemm Sobrinho em Joinville.

Nem o jogo, frio com o vento que soprava, merecia mais. O Criciúma com um time bastante modificado e sem a força daquele que o levou até às finais, foi presa fácil para o Joinville, que, disputou a Taça de Ouro deste ano(por ter sido campeão de 79), se manteve certinho, forte e disposto.

Tão certinho, que foi só tomar a bola, sem pressa e sem problemas e deixar que os gols surgissem normalmente. Adílson fez o primeiro aos 18, ao escorar de cabeça um escanteio cobrado por Haérton, e Jorge Luís Pereira completou o placar do primeiro tempo, ao aproveitar a confusão formada depois da cobrança de uma falta por Ladinho, aos 45 minutos.

No segundo tempo, o Criciúma diminuiu, aos 10 minutos, mas o gol de Laerte não balançou ninguém. Logo Adílson faria o terceiro, para Nardela, aos 45, completar a goleada de 4 a 1. Acordando a pequena torcida que, sem esperar pelo último apito do juiz, invadiu o campo para abraçar seus heróis e ensaiar um  pequeno canarval. O bastante para que os cartolas do Criciúma começassem a imaginar mais um jeito de melar o campeonato, levando-o para o tapetão.

Ameaça que ninguém acredita seja levada adiante, mas que, se concretizada, servirá bem para coroar um dos mais confusos e tristes campeonatos que se tem conhecimento, no mundo. Um campeonato que, depois de centenas de jogos, 18 meses de disputa, com jogos às terças, quintas, sábado e domingos, só foi decidido quase quatro meses depois da data fixada, quase às escondidas.

Texto revista Placar

Ficha de jogo – Joinville 4×1 Criciúma

Local: Ernesto Schlemm Sobrinho – Data: 21/03/1981 – Horário:
Público: 8160 (Pagante) – Renda: CR$ 450.950,00
Arbitragem: Alvir Renzi
Gols: Adílson, aos 18/1º tempo e aos 33/2º tempo, Jorge Luís Pereira aos 45/1º tempo, Nardela aos 45/2º tempo(Joinville). Laerte 10/2º tempo (Criciúma).

Joinville: Hélio, Galvão, Adílson, Bob e ladinho; Jorge Luís, Jorge Luís Pereira e Nardela; Paulinho Carioca, Zé Carlos Paulista e Haerton(Ademir). Técnico:

Criciúma: Hugo, Reginaldo, Nivaldo, Hamílton e Zé Augusto; Assis, Paulinho(Damásio) e Iúra(Sabiá); Mug. Laerte e Anchieta. Técnico:

Confira os últimos segundos e a festa da torcida do JEC na final de 1980

 

 
 

Há 27 anos o Tricolor era Octacampeão estadual.

Postado por nasceucampeao - 11/03/2017

Há 27 anos, no dia 11/12/1985 o Joinville conquistava o OCTACAMPEONATO

Leia mais